Quando chega a hora de dizer “Tchau”

29 11 2010

Todos nós passamos por isto um dia. Cedo ou tarde, por vontade própria ou alheia, chega um dia que precisamos juntar nossas coisas e dizer “tchau” na empresa em que trabalhamos. A vida é assim, nosso desenvolvimento e crescimento profissional pede isto. Acredito que, seja por bem, seja por mal, mudanças são sempre boas.

Porém algumas pessoas resolvem transformar este tchau em algo diferente, inusitado, que marque o fim da trajetória e a lembrança da passagem. Isto aconteceu comigo recentemente.

A Bia Gagliardo, da empresa em que trabalho, resolveu se desligar. Ela trabalhava no escritório em Brasília e tivemos contato algumas vezes que fui pra lá e outras que ela veio para SP. Em seu último dia de trabalho ela ligou para nosso escritório em SP e se despediu de cada uma das pessoas, agradeceu o aprendizado ao longo dos 6 anos que ficou na organização e partiu.

A surpresa ficou reservada para a segunda-feira seguinte. Quando chegamos no escritório, em nossas mesas tínhamos estas pequenas latinhas (que na foto ficou grandona), com uma mensagem agradecendo o aprendizado e alegria; dentro, mini M&Ms.

Achei a ideia sensacional. Uma maneira alegre descontraída e muito simples de agradecer tudo o que ela viveu na empresa. Sempre que me desliguei de alguma organização, o mínimo que posso fazer é ser grato por aquilo que aprendi, que absorvi em minha estada ali. Ela fez o mesmo, mas de uma maneira muito mais marcante e inusitada.

Para Aline Alves, responsável pela área de gestão de pessoas da Battistella, é normal que os profissionais se preocupem no momento de se desligar de uma empresa para manter o famoso “networking”, propiciando as chances de se receber uma indicação futura além de se manter um bom relacionamento com os “ex” colegas de trabalho.

Já sobre a entrega de um “mimo”, entende ser válida e criativa a ideia, o que ajuda a ser lembrado. Salienta porém que deve-se ter alguns cuidados na escolha do presente, levando-se em conta a abertura e cultura da empresa, bem como o impacto que isto pode gerar. Alves finaliza deixando uma dica:

“Em uma situação de desligamentos, deixe uma boa imagem e agradeça da forma que achar mais apropriada aos colegas que trabalharam com você e que com certeza lhe ajudaram em algum momento, pois uma carreira nunca é construída sozinha.”.

Eu adorei o presente! Nunca tinha visto algo assim e com certeza vou lembrar da Bia por muito tempo! Como Relações Públicas acho que esta foi uma forma bastante criativa de se encerrar um processo, marcando as pessoas e firmando o quão grata ela é a cada uma delas, afinal de contas, dedicou tempo e dinheiro para preparar a surpresa. E você, já passou por situação semelhante?

Anúncios




Viagem ao fundo do mar em SP

26 11 2010

Uma semana parado, eu sei, isso é muito feio 😦 mas pelo menos o post Dica do final de Semana eu trouxe ao relações 🙂

Eu sou fascinado por água! Adoro piscina, rios, lagos, amo o mar! Acho que por isto me tornei mergulhador aos 13 anos de idade e, desde então, não parei mais! Ao mesmo tempo sou fascinado por bichos.

Se você não gosta muito de interagir com eles na natureza, ou se não se sente muito bem ao contrariar a lei natural da vida e se enfiar 15 metros embaixo d`água, uma ótima opção são os aquários das cidades.

O aquário do Guarujá (SP) é um bem famoso, tem diversas espécies de animais e, vez ou outra, alguns visitantes ilustres que são levados para lá para recuperação. O aquário de São Paulo também é muito legal! Fazia tempo que não o visitava, mas no ultimo ano e meio já fui duas vezes.

Eles passaram por uma grande reforma, mudaram algumas de suas estruturas, reorganizaram as alas e contam com uma vasta coleção de animais. Começamos a visita com os répteis, anfíbios e peixes de água doce. Nesta primeira parte podemos ver uma jibóia de mais de 4 metros, um casal de jacarés albinos, teiús (lagarto) vermelho e muito mais.

Ao deixarmos esta ala passamos então para a parte de animais de água salgada, que começa com baiacus, cascudos, e uma provocação aos visitantes, mostrando em uma sala com espelhos, o maior predador do mundo: o homem! Chegamos então em um dos tanques principais do aquário, justamente onde estão os tubarões-lixa e as raias. Aqui eles também contam com um morador ilustre, um tubarão-lixa branco, raridade no mundo e único (que se tem notícia) em um aquário. Neste tanque é possível acompanhar um mergulhador que alimenta as raias e os tubarões de tempo em tempo.

Mais adiante encontramos o Nemo e a Dori, alegres e contentes em seu aquário. Os palhacinhos (nome popular do “nemo”) são peixes bem curiosos e desconfiados. Adoro ficar observando o que fazem um tempão, principalmente quando ficam escondidos. Em um aquário do outro lado da sala encontramos dois peixes-leão, fascinantes também. Ao final desta parte podemos nos divertir com os pinguins do local. Dá até pra fazer um bolão entre os visitantes para ver se eles entram ou não na água.

A dica fica para, ao fim do passeio, depois que deixar a “lujinha”, pergunte para um dos monitores do local onde fica o tanque do peixe-boi e do leão-marinho. São dois tanques gigantescos. O peixe-boi fica junto com outros peixes da Amazônia e é incrível o tamanho que estes animais tem! Na parte superior do mesmo complexo estão duas lontras, um tamanduá e dois macacos-prego.

A diversão aqui é garantida. Dá pra fazer um passeio bem legal em 90 minutos, ou perder muito mais olhando todos os animais. O melhor horário para visitar é pouco antes de se encerrarem a venda de ingressos (18h), pois o número de crianças pequenas é bem menor e o aquário só fecha depois que o último visitante sair! Cheguei lá às 16h30 e foi ótimo. Se você não é de SP visite o aquário da sua cidade e conte-nos aqui como ele é!

Serviço

Aquário de São Paulo

R. Huet Bacelar, 407 – Ipiranga

Horário: Todos os dias das 9h às 18h (encerramento de venda de ingressos – só fecha com a saída do último cliente)

Fone: (11) 2273-5500

www.aquariodesaopaulo.com.br

Valor: R$30,00 – Não tem meia-entrada.





O mundo mágico dos TEDx

16 11 2010

O TED é uma conferencia/organização sem fins lucrativos que surgiu em 1984 na Califórnia (EUA), cujo lema é “Ideas worth spreading” ou “Idéias que merecem ser espalhadas” em livre tradução.

Seu objetivo é promover encontros onde os palestrantes tem até 18 minutos; sim, 18, não são 15 e nem 20; para expor suas idéias, projetos ou histórias que inspirem outras pessoas. Nesta linha, os organizadores do TED (Technology, Entertainment and Design) resolveram dar licenças para que outras pessoas organizem eventos parecidos, seguindo as mesmas diretrizes, mas de forma independente. É aí que surgem os TEDx!

Aqui no Brasil este tipo de evento está se popularizando, já tivemos o TEDxSudeste, TEDxSãoPaulo, TEDxUSP, TEDxTombo, TEDxSantander (apenas para funcionários), TEDxVilaMadá, TEDxAmazônia e muitos outros em diversas regiões do país. Para participar de um destes eventos é, ao mesmo tempo muito simples e muito complicado. Basta preencher um formulário com as informações solicitadas e responder algumas perguntinhas que convençam os organizadores do evento que você é a pessoa certa para estar na platéia, que você é um disseminador das idéias que lá serão trabalhadas, e que manterá esta onda de conhecimento, fluindo!

Tive a oportunidade de participar do TEDxVilaMadá algum tempo atrás. Na semana passada, porém, fiz uma imersão em TEDx. Na quinta (11/11) participei do TEDxTombo aqui em SP e dia 13 (sábado) do TEDxPortoAlegre no RS! Ambos incríveis.

O TEDxTombo aconteceu no INSPER e contou com 8 palestrantes. Todos conseguiram tocar a platéia com suas histórias de vida, suas idéias e ideais. Histórias com a do DJ Bola e seu projeto “A Banca” para inclusão de jovens por meio do HipHop, da Tia Dag e a Casa do Zezinho, ou do Paulão, e seus ensinamentos sobre a essência do microcrédito, arrancaram aplausos e lágrimas da platéia.

Na sexta embarquei para o TEDxPortoAlegre. Acompanhei de perto a organização deste evento, me envolvi com o twitter deles, segui alguns dos organizadores e fiquei muito feliz de ter sido convidado i) para participar do evento e ii) para ficar na casa de um de seus organizadores, o Gustavo Zilles. Lá chegando fui direto para o Theatro São Pedro, no centro de Porto Alegre. Um lugar maravilhoso que já estava ficando LINDO para o evento.

Acompanhei os bastidores noite a dentro, fotografei muitas das “preparações”, pude conversar com alguns dos palestrantes e ver de perto uma pequena amostra do que é organizar um evento deste tamanho.

No dia seguinte fui lá pra minha cadeira curtir as palestras, que foram o máximo! Palestrantes incríveis provocaram a platéia com assuntos bastante distintos, nos fizeram pensar sobre nossa atuação na sociedade, nossa responsabilidade enquanto profissionais, nossa maneira de se relacionar com o mundo. Infelizmente tive que deixar o evento às 16h pois tinha um voo às 17h para chegar em tempo de ser padrinho de casamento de minha prima, às 20h! Uma correria danada, mas tudo valeu a pena para poder participar do TEDxPorto Alegre.

Outros posts sobre os dois eventos virão, com certeza. Assim que as “talks” forem liberadas na internet (outra característica do TED é compartilhar todo o conhecimento de forma gratuita), venho aqui comentar cada uma e minhas impressões, opiniões e aprendizados. Por hora quero agradecer ao Felipe, Godoy e Gustavo, do TEDxPortoAlegre por me deixarem participar dos bastidores, ao João, do TEDxTombo, ao Alexandre da MonkeyBusiness, Bio do TEDxUSP e a Daiane, do TEDxSantander e amiga que tem me ajudado muito a entender este mundo especial! Abaixo você acessa as fotos que tirei dos bastidores do TEDxPortoAlegre e também das apresentações que ví!

TEDxPoA_baixa

Deixo a dica, participar de um evento destes é algo incrível, um aprendizado único, uma oportunidade gigante de ver o mundo de outra maneira. Este é seu propósito, despertar reflexões, provocar inquietações para que as pessoas mudem sua forma de agir, pensar e ver o mundo.





LVBA embarca de vez na mobilidade

16 11 2010

Primeiro veio o PC, de mesa, grandão, tela de tubo, mouse de dois botões, com bolinha em baixo e sem “scroll”. Depois surgiu o celular, tbm grandão, era maior do que o telefone sem fio que tenho em casa hoje! Passamos então para o Star Tack (lembra dele?); flip, menorzinho, bonitão, todo mundo pendurava na cintura. Na linha vieram os notebooks, que foram ficando mais finos e mais leves, smartphones, iPods, iPads…. pronto, sentar em uma mesa para usar o computador, acessar a internet, trocar e publicar conteúdo ja é praticamente coisa de um “mega-velho”, como diria meu primo de 11 anos!

Hoje temos uma infinidade de aplicativos disponíveis na AppStore da Apple, outros milhares na OviStore da Nokia, loja da Blackberry, Samsung e por aí vai! Receber, compartilhar e publicar conteúdo é algo que, cada vez mais, está na ponta dos dedos, à um click!

Acreditando nisso a LVBA lançou recentemente o conceito de PR Mobility, por justamente acreditar que a informação não é mais estática, mas sim está na mão de qualquer um, a qualquer hora e lugar. Assim sendo, qualquer pessoa torna-se um disseminador de conteúdo, um formador de opinião, um influenciador de grupos e, desta forma, precisa ser trabalhado. Flavio Valsani, Diretor Executivo da LVBA, explica:

“Nós, de RP, estamos acostumados a trabalhar com públicos multiplicadores, mas precisamos lembrar que vivemos, hoje, outra realidade. As pessoas têm muito mais acesso à informação, não são mais apenas leitores, são geradores de conteúdo, influenciadores. Mais, a valocidade com que se interage, hoje, é muitíssimo maior do que há poucos anos. A idéia com PR Mobility é utilizar todos os instrumentos possíveis na formulação e execução de estratégias de comunicação, de maneira a obter os melhores resultados. Isso dá consistência às mensagens e amplia a possibilidade de entendimento e apreensão dos públicos-alvo.”

Após o lançamento do conceito de PR Mobility a LVBA anunciou também que é a primeira agencia do mundo a ter um aplicativo para smartphone. No programa (por hora só para telefones symbian, por motivos óbvios – eles atendem a Nokia [baixe aqui]), é possível ver os releases produzidos pela agência, consultar porta voz para matérias, banco de fotos, além claro, de ter acesso ao blog da agência e demais redes sociais que fazem parte.

Valsani explica que tanto o conceito como o aplicativo surgiram juntos após análise de um cenário que mostra o crescimento vertiginoso do uso de celulares (hoje já temos, no país, mais linhas ativas do que pessoas – veja post aqui). Além disto os celulares ganham, a cada dia, mais utilidades, daí a idéia de transformar a LVBA em uma agência de bolso. Valsani diz ainda acreditar que “em dois anos, os celulares serão o principal meio de acesso dos brasileiros à Internet e redes sociais – os custos para transmissão de dados estão cada vez mais baratos (muito mais que a banda larga) e o brasileiro lida melhor com seu telefone do que com o computador.“.

No vídeo abaixo você vê um demonstrativo de como o aplicativo funciona. Para mim ele abre uma nova era no relacionamento com a imprensa, possibilitando uma agilidade muito maior ao se falar com fontes, principalmente se empresas e executivos puderem ser acessados diretamente (claro que isto requer MUITO trabalho e entendimento do papel do assessor). Facilitará também, por exemplo, o acesso à informação em coletivas, podendo o jornalista acessar o conteúdo direto do celular, ler antecipadamente o material, consultá-lo a qualquer momento.

O ponto baixo é que o aplicativo só funciona em celulares “touch”. Já imaginava isto quando vi o vídeo abaixo, mas esperei sua liberação para ter certeza. Ao tentar baixar em meu E71 vem a mensagem “o aplicativo não está disponível para o seu aparelho”. :-/ Poxa vida…. fiquei frustrado… Alguém me empresta um celular touch para eu ver como funciona?

Sem dúvida as Relações Públicas encontraram uma nova forma de se usar um gadget, lembra o que disse noNovas fronteiras para a comunicação? Eu e o Eloy Vieira (blog do Eloy) já discutimos e escrevemos bastante sobre isto e sobre a jornada que estamos fazendo rumo à uma sociedade onde o público-alvo faz a informação. Resta agora esperar e ver como isto vai mudar, de novo, o mundo da comunicação!





ILP promove curso sobre Parlamento X Imprensa

16 11 2010

O Instituto do Legislativo Paulista (ILP) promoverá nos dias 18 e 19 de novembro (quinta e sexta) o curso Assembleia X Mídia – Uma Relação a Ser Construída.

Com o objetivo de tratar da relação entre os parlamentares, seus assessores e a mídia o curso promete ser uma ótima pedida para os profissionais de comunicação que querem saber mais sobre este tipo de relação. Além da aula teórica, os participantes poderão desenvolver atividades práticas com a TV Assembleia.

O curso será ministrado pelo professor doutor Luiz Barco, da Universidade de São Paulo (USP).

Serviço:

Curso: Assembleia X Mídia – Uma Relação a Ser Construída

Data: 18 e 19 de novembro

Horário: 9h às 18h

Local: Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP)

Inscrições: www.al.sp.gov.br (Acessar o link do ILP no menu direito)

Com informações do Diário Oficial do Estado de São Paulo





A mesma notícia, várias versões!

12 11 2010

Na dica do final de semana de hoje, clássico da literatura inútil! 🙂

Serve para se divertir (e dar risada, principalmente para as pessoas do “mundinho” [da comunicação]), e serve também como régua para refletir sobre como estamos escrevendo nossos textos!

O autor eu desconheço, se alguém souber, por favor me conte! Segue a História da Chapeuzinho Vermelho segundo os mais diversos veículos de comunicação!

JORNAL NACIONAL
(william Bonner) “Boa Noite. Uma menina chegou a ser devorado por um lobo na noite de ontem…’.
(Fátima Bernardes): ‘… mas a atuação de um caçador evitou uma tragédia’.


PROGRAMA DA HEBE

(Hebe): ‘… que gracinha, gente. Vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo?’

CIDADE ALERTA

(Datena): ‘… onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades? Cadê as autoridades? ! A menina ia para a casa da avozinha a pé! Não tem transporte público! Não tem transporte público! E foi devorada viva… Um lobo, um lobo safado. Põe na tela!! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não.’

REVISTA VEJA

Lula sabia das intenções do lobo.

REVISTA CLÁUDIA

Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho.

REVISTA NOVA

Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama.

FOLHA DE S. PAULO

Legenda da foto: ‘Chapeuzinho, à direita, aperta a mão de seu salvador ‘.

Na matéria, box com um zoólogo explicando os hábitos alimentares dos lobos e um imenso infográfico mostrando como Chapeuzinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.

O ESTADO DE S. PAULO

Lobo que devorou Chapeuzinho seria filiado ao PT.

O GLOBO

Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT que matou um lobo pra salvar menor de idade carente.

ZERO HORA

Avó de Chapeuzinho nasceu no RS.

AGORA SP

Sangue e tragédia na casa da vovó

REVISTA CARAS
(Ensaio fotográfico com Chapeuzinho na semana seguinte)
Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS: ‘Até ser devorada, eu não dava valor para muitas coisas da vida. Hoje sou outra pessoa’

PLAYBOY (
Ensaio fotográfico no mês seguinte) Veja o que só o lobo viu.

REVISTA ISTO É

Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente.

G MAGAZINE
(Ensaio fotográfico com lenhador) Lenhador mostra o machado

SUPER INTERESSANTE

Lobo mau! mito ou verdade ?

DISCOVERY CHANNEL

Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e sobreviver

Bom final de semana para todos 🙂





#DoeEike: você ainda duvida do Twitter?

8 11 2010

Por Lívia dos Santos

Sábado eu tive mais uma vez, a prova de que o Twitter tem voz! Mas para explicar essa história, vamos desde o começo. Eu tive o privilégio de trabalhar na AACD durante oito meses como assistente de Marketing e conhecer de perto todas as histórias de vida, de coragem e de conquistas que aquelas crianças e suas mães vivenciam a cada dia.

No Teleton de 2009, tinha acabado de entrar na instituição. Eu não havia feito parte da organização desde o princípio, mas minhas analistas, gerente e superintendente viram minha paixão pelas redes sociais e a oportunidade de ter alguém para cuidar do Twitter da entidade naquele que é o maior evento da AACD e que tem essa interação direta com o público. Por isso, a necessidade de ter alguém para responder as mensagens por meio do canal aberto, era essencial.

O perfil @AACD ainda era novo, quase recém criado. Além do número de seguidores que conseguimos e um site que inseriu um banner do evento em sua página, o mais importante para mim era conseguir o engajamento das pessoas que, nesta ocasião, tinham que ser além de simplesmente interagir nas redes sociais; tinha que ser revertido em doação para a causa.

Com os resultados obtidos e crescimento da importância do Twitter, este ano já não estava sozinha. Fiquei honrada em ser convidada para estar novamente tuitando em nome da AACD juntamente com toda a equipe de marketing que um dia integrei. Feliz, sábado lá estava eu, voluntariamente para fazer o trabalho que eu adoro para uma causa que admiro.

Este ano, porém, presenciei o que o engajamento nas redes sociais pode conquistar.  Tudo começou com o pedido de diversas pessoas para que Eike Batista, o homem mais rico do Brasil e o 8º empresário mais endinheirado do mundo (segundo ranking da revista Forbes deste ano), fizesse uma doação ao Teleton. Elas usavam a hashtag #DoeEike e mentions para o @eikebatista.

O SBT, em seu blog, chegou a publicar uma nota explicando a ação aos seguidores e blogueiros, o que se tornou uma corrente para que o empresário doasse ao programa. Eis que no final da tarde o próprio Eike Batista posta em seu Twitter “vou doar” e um pedido de ajuda em como ligar para o SBT. Estas mensagens deram início à uma nova corrida, desta vez com o “bolão” do valor que seria doado.

O ponto alto da saga foi ao vivo, por telefone. Com os apresentadores Hebe Camargo e Celso Portiolli, o empresário anunciou a doação de um milhão, duzentos e sessenta e três mil reais (R$1.263.000,00)!!!

Foi maravilhoso poder fazer parte desta ação e vivenciar, em tempo real, tal conquista. Depois deste fato eu pergunto: você algum dia duvidou do Twitter? Da influência das redes sociais? Que a vida 2.0 não reflete nas ações do “mundo físico”? Ou que ainda as novas mídias são passageiras? Se você se lembra de outros casos similares, conte pra gente ou deixe a sua opinião 😉








%d blogueiros gostam disto: