… a liberdade de imprensa e a ética jornalística!

25 05 2010

O Estado de São Paulo está a mais de 300 dias sob censura, a acusação, querer publicar uma matéria denunciando escândalos da família Sarney. Este provavelmente é o caso de censura de maior relevância no país nos últimos tempos e responsável por reacender a discussão sobre a liberdade de imprensa por aqui!

Acredito que a imprensa deve ter liberdade para publicar o que for relevante ao interesse comum, o que deve ser relatado e, principalmente, denunciado.

Não podemos esquecer, porém, que é necessário aos jornalistas e seus veículos manter a imparcialidade (mesmo que isto só seja possível no “País das Maravilhas”), e apurar os fatosouvindo os dois lados e embasando-se em fontes seguras.

A Federação Nacional dos Jornais (FENAJ) tem em seu site o Código de Ética dos Jornalistas brasileiros, que discorre justamente sobre os direitos e deveres dos veículos e jornalistas, além de princípios básicos para o exercício da profissão. Atende ao Art. 2º (I e II), Art. 4º, Art. 6º (VIII), Art. 7º (II) e Art. 12º (I).

Mas quem é mesmo que acredita em imprensa 100% imparcial, 100% coerente, 100% enquadrada em seu próprio Código de Conduta Ética? Como anda a sua relação com este assunto?

Anúncios




… entre Alice no País das Maravilhas e O Segredo de Seus Olhos!

23 05 2010

Os dois filmes acima mencionados me chamaram a atenção por uma passagem muito sutil, mas fundamental nos dois casos, que pode não ser percebida para muitos. Antes de começar:

Se você não assistiu Alice in Wonderlands (Alice no País das Maravilhas – USA – Disney – 2010) é legal, mas não leve muita expectativa…. e nem gaste o seu precioso dinheirinho indo no IMax que é uma fortuna e nem é TÃO melhor que um 3D normal (o som é!).

Se você não assistiu El Secreto de Sus Ojos (O Segredo de Seus Olhos – ARG – Europa Filmes – 2009 – Vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro 2010) PERDEU! Vá logo ver, alugar, e nem leia este post, pois eu vou contar o fim do filme!

Bem! Um filme não se compara a outro, o primeiro, uma mega produção da Disney em 3D, é, logicamente, uma atualização da história infantil. Muito bem feito e produzido, cheio de efeitos especiais, uma maquiagem incrível e final feliz!

O segundo, produzido com um orçamentinho bem pequenininho (tudo no diminutivo mesmo, pra mostrar como era pouco), penou para conseguir patrocínios, feito de maneira simplista ao longo de 7 semanas de filmagem, mas INCRIVELMENTE bem feito, produzido, atuado e dirigido, o que lhe rendeu o merecido Oscar!

Em ambos, os “bandidos” (respectivamente a Rainha de Copas e Isidoro Gómez) recebem uma condenação muito parecida e incrivelmente dura.  Pelos seus “condenadores” são proibidos de conversar com pessoas…. de se relacionar!

Em Alice, não sabemos o fim da Rainha de Copas, mas a Rainha Branca deixa bem clara sua condenação:

Rainha de Copas, seus crimes contra nosso reino são dignas de morte. Mas isto vai contra o meu juramento. Neste caso,você está banida do reino. Ninguém terá compaixão ou se dirigirá à você. Você não terá ninguém para conversar… nem um amigo no mundo. (em livre tradução).

Já no filme argentino, Ricardo Morales tem como único objetivo de vida, prender o assassino de sua esposa, Isidoro Gómez. Ao capturá-lo, o coloca em um prédio anexo à sua casa, construída afastada de cidades. O mais impressionante é a frase de Isidoro quando Benjamín Espósito (o “mocinho”) o encontra:

Ao menos peça para ele falar comigo!

Não é de hoje que filmes usam o isolamento para ilustrar situações. O Náufrago, com o Tom Hanks, é sobre isto! Também não precisa pensar muito para concluir que o isolamento transforma a cabeça das pessoas, altera seu comportamento e sua identidade! Relacionar-se é imprescindível… como andam as suas relações?








%d blogueiros gostam disto: